Agência Fields 360 conquista a conta do Ministério da Saúde e estreia campanha

A brasiliense Fields360, agência recém-contratada pelo Ministério da Saúde, estreou no mês de fevereiro a campanha “Esclarecimento sobre a Febre Amarela”, em cinco regiões brasileiras. Por meio do filme de animação, a mensagem de prevenção será veiculada nas mídias online e na tevê aberta das regiões mais afetadas pelo surto da doença, como leste de Minas Gerais, Oeste da Bahia, noroeste do Rio de Janeiro, oeste do Espírito Santo e interior paulista

Segundo Ruskaya Campos, COO da Fields360, o desafio da campanha “Febre Amarela” é levar a público esclarecimentos básicos sobre o problema direcionando a mensagem às regiões mais afetadas atualmente. Para o Ministério da Saúde, uma das principais preocupações era que a mensagem tivesse o tom direto, sem confundir e alarmar a população. Na campanha, o MS reforça que só é necessário tomar a vacina caso a pessoa more ou vá viajar para as áreas de risco. Crianças devem ser vacinadas a partir de nove meses de vida e pessoas com mais de 60 anos e gestantes devem primeiro procurar um médico especializado. Caso tenha tomado a vacina há menos de 10 anos ou tomado as duas doses, não precisará tomar novamente.

“Nossa missão é que a criatividade seja o recurso para levar a mensagem de conscientização social. A conversa é com o público e as narrativas precisam ser sempre claras, didáticas e acessíveis”, relata Ruskaya.

A Fields360 atua há dez anos no segmento de comunicação e marketing. Aliar inovação ao interesse social é umas das expertises da agência, que também mantém uma unidade na capital paulista.

“Além da difusão dos filmes, investimos também em um marketing de guerrilha presente no rádio em ações com comunicadores locais, carro de som, painéis em rodoviárias interestaduais, parceiros e profissionais de saúde. Dessa forma, o MS disponibilizará à população todas as informações necessárias e formas de prevenção relacionadas à doença. Em todas as mensagens valorizamos a importância de procurar uma unidade de saúde para tomar a vacina somente se necessário”, diz Ruskaya.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *